Na Assembleia do Amazonas parlamentares cobram rapidez no processo de vacinação

Durante a Sessão Plenária desta quarta-feira (24), da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), as deputadas e deputados repercutiram a informação de que o Brasil registrou, na última terça-feira (23), o número de 3.251 mortes causados pela Covid-19, apenas em 24h; e cobraram agilidade na vacinação contra a doença no Amazonas.

A deputada Dra. Mayara Pinheiro (Progressistas) iniciou seu pronunciamento dizendo que dia após dia o país vem superando o número de mortes do dia seguinte dos óbitos causados pela Covid-19 e lembrou que o Amazonas foi o primeiro a enfrentar o colapso de seu sistema de saúde, quando chegou até mesmo a faltar oxigênio, caso ocorrido em meados do último mês de janeiro.

Agora, esse colapso na saúde se expandiu por todos os demais estados brasileiros, e por isso, cobrou a deputada, é tão importante o investimento em vacinas. Desta maneira, Pinheiro celebrou o contrato assinado pelo Governo do Estado para aquisição de um milhão de doses da vacina Sputnik V.

Segundo informações divulgadas pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), as doses do imunizante fabricado na Rússia, devem chegar ao Estado a partir do mês de abril e foi adquirido por meio do Consórcio foram adquiridas por meio do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal. “Há muito ainda a ser feito, não sabemos se o vírus sofrerá novas mutações, é preciso correr contra o tempo realizando ações em saúde que possam conter e contingenciar a propagação desse vírus”, declarou.

O deputado Serafim Corrêa (PSB) também repercutiu o número de mais de 3 mil mortes em todo país em apenas 24 horas e ratificou que a vacinação é a principal solução para frear essas perdas. Porém, questionou o parlamentar, Manaus ainda discute qual grupo será beneficiado com as doses de vacina enviadas pelo Ministério da Saúde para o Estado no último dia 20.

Nessa data, chegaram ao Amazonas 221.800 mil doses de vacina, sendo 180 mil imunizantes da fabricante AstraZeneca e 41.800 doses de Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan.

Corrêa apresentou um gráfico mostrando a evolução do processo de aplicação do imunizante e criticou o fato de que esse último lote recebido ainda não estar sendo aplicado na população. “Tem vacina na geladeira, mas a Prefeitura de Manaus ainda está discutindo o que fazer”, criticou.

No entanto, o deputado Abdala Fraxe (Podemos), ao se manifestar na tribuna afirmou que as vacinas recebidas pelo Governo Estadual ainda estão de posse da Fundação de Vigilância Sanitária (FVS), responsável pela distribuição para os municípios. Segundo Fraxe, apenas nesta quarta-feira a FVS repassaria as doses destinadas à capital para a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). “Preciso reconhecer o trabalho da equipe da Semsa, que está diuturnamente empenhada na imunização da população da capital”, finalizou.

Já o deputado Wilker Barreto (Podemos) falou sobre a orientação do Ministério da Saúde para que os municípios apliquem todas as doses recebidas de vacinas, não fazendo a reserva para a 2ª dose. “A intenção é acelerar a cobertura da população”, disse, afirmando se surpreender com a informação trazida pelo deputado Serafim Corrêa a respeito do ritmo lento do processo praticado pela Prefeitura de Manaus.

 

Com informações da Comunicação da Aleam

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: